11/22/2005

Venha o Diabo também tem excertos de entrevistas dos candidatos

(entrevista de Mário Soares a Maria João Avillez no jornal Expresso de Novembro de 2025)

MJA - Nesta sua sétima candidatura há quem considere que o senhor já não tem condições físicas para desempenhar o cargo.
MS - Isso é conversa que eu já ouvi...olhe no tempo do MASP III! Só porque tenho 120 anos? Quer ver o meu boletim clínico? Fazemos assim: eu mostro o meu boletim clínico se os outros candidatos mostrarem o deles.
MJA - Por cinco vezes disse que não era candidato.
MS - Esta foi uma candidatura que eu nunca desejei. Só avanço porque não quero que a direita vá fazer um passeio pela avenida da Liberdade. Nunca os deixei antes e também não é agora que vou deixar. Só se passeia na Avenida quem eu deixar.
MJA - Mas não considera que o partido tinha outros nomes para apresentar?
MS - Esta foi uma candidatura que nunca desejei mas não podia recusar o pedido das forças vivas da sociedade.
MJA - Que forças vivas?
MS - Olhe...no mesmo dia ligaram-me o Carlos Monjardino, o Alfredo Barroso e o Vítor Ramalho.
MJA - E não considera importante renovar a classe política?
MS - Claro que sim. Daqui a quinze ou vinte anos, quando tiver idade para isso, será a vez do meu filho João. Mas por enquanto ele só tem sessenta anos. É um bocado miúdo para isso.
MJA - E considera que tantos anos depois da sua primeira candidatura ainda consegue reunir uma base de apoio alargada?
MS - Claro que sim. Mesmo que nem todos os soaristas tenham o meu património genético, estou confiante que o MASP VII será um sucesso igual aos outros seis.
MJA - Há quem diga que está viciado no poder
MS - Isso é completamente falso! Completamente falso! Aqui há uns dias consegui viver perfeitamente com menos de dois cargos públicos.

AMS